sábado, 23 de octubre de 2010

GM Coach "CAMELBACK" - "VICTORY"

GM "CAMELBACK" - "VICTORY"














Desde hace mucho tiempo estaba buscando información acerca de estos modelos de autobuses GM. Recientemente un nuevo amigo de EEUU, Duncan Rushing, me proporciono unos cuantos datos interesantes que el recuerda de estos buses. No es fácil encontrar información de ellos, ya que lamentablemente no hay un sitio oficial de los autobuses de GM.


En 1941, Yellow Coach, construyo un prototipo único del PDG-3301, construido en acero (en lugar de aluminio), con un motor 4 - 71.

[Todos los motores en todos los autobuses en este relato - hasta el PDA-4101 - fueron montados longitudinalmente.] El PDG-3301 fue, en efecto, un Cruiserette con proporciones ligeramente más grande - es decir, un derivado del Cruiserette.
(Los Cruiserettes (el PD-25 y -29 y PG-25 y -29) fueron la respuesta competitiva de Yellow Coach a los Flxible Clippers.]

En 1942, Yellow Coach construyó 115 copias del PD-3301, también en acero, en esencia el mismo que el PDG-3301.
En 1943, Yellow Coach construyó 49 copias del PG-3301, también en acero, pero con motores a gasolina de GMC.
Durante 1943, el nombre de marca “Yellow Coach” ha cambiado a GM Coach.
En 1945, el Pontiac Motor Division construyo 100 ejemplares del PD-3302, con motores 4-71.
Sólo dos de los 3302s, sobreviven hoy día. Uno de ellos se encuentra en North Carolina en un área de descanso en la carretera interestatal 95 (I-95). Está en muy buenas condiciones, y aun funciona bien.

Mientras tanto, Yellow Coach extendió el PD-3301 en el PDA-3701 y el PGA 3701. En 1942, Yellow Coach construyó 185 copias del PDA-3701, en acero, con motores 4-71.

En 1943, Yellow Coach construyó 51 copias en acero del PGA-3701, con los motores a gasolina.
En 1944-1945, Pontiac Motor Division construyo 600 copias, con motor a gasolina del PGA-3702, en acero, casi el mismo que el PGA-3701.
En 1945, Pontiac Motor Division construyo 600 ejemplares del PDA-3702, en acero y motor diesel 4-71, casi el mismo que el PDA-3701.

Todos estos modelos se construyeron de acero debido a la escasez de aluminio durante la Segunda Guerra Mundial. [Aluminio era aún más escaso que el acero.] Cada uno de estos modelos era básico y sin adornos, teniendo muy poco acabado brillante.
Aunque Pontiac Motor Division construyo algunos de los modelos en sus plantas de automóviles, los autobuses llevaban el nombre de marca y placas de identificación de GM Coach. [Pontiac construyó buses en sus plantas debido a que GM T & C estaba contratada todavía en la construcción del DUKW vehículo anfibio para la guerra.]
En 1947-1949, después de 2 ª Guerra Mundial, la GMC T&C Division construyo 750 ejemplares del PDA-3703, fabricado en aluminio, con motores diesel 4-71.

Construyeron 350 durante 1947, 300 más en -48, luego 100 más en -49. El -3703 fue un producto en tiempo de paz, por lo que tiene mucho más acabado brillante. Era un coche mucho más atractivo (a causa de la moldura).











FOTOS: www.busmemories-com
Agradecimiento muy especial a: Duncan B. Rushing
Recopilado por: Enrique Fernández

video

sábado, 16 de octubre de 2010

MAIS DA GM COACH NO BRASIL (PARTE 3 FINAL)

GM COACH NO BRASIL (PARTE 3 final)




video





MODELOS URBANOS PRODUZIDOS
NO BRASIL
ODC-210

ODC-210 (versão urbana)
Overseas Diesel Chassis, 210 polegadas entreeixos – 42 passageiros sentados e 70 no total.
Motor
Diesel 2 Tempos, traseiro longitudinal, Detroit 4-71, 147 CV
Cambio
Mecânico, não sincronizado de 4 velocidades com relação curta na versão urbana.
Histórico
Foi desenvolvido no Brasil entre 1949 e 1950, por engenheiros brasileiros e americanos.
O lançamento ocorreu em 11/12/1950, com a presença de inúmeros empresários, quando foram
encomendados por volta de 300 veículos. Um lote de 110 unidades da versão urbana, foi
adquirido pela CMTC, em cerimônia de entrega no páteo da GMB, com a presença do prefeito de
São Paulo, Sr. Jânio da Silva Quadros.
Características
O conjunto chassi-motor-câmbio era importado dos Estados Unidos.
Traseira e laterais com grades para refrigeração do motor.
Tinha 2 janelas traseiras duplas, características da época.
Nas laterais, as janelas possuíam vigia superior colorida (azul, verde claro e amarelo claro)
A versão urbana possuia 3 portas sendo 2 para entrada e saída e 1 para emergência, situada do
lado esquerdo. Nas primeiras unidades a porta traseira situava-se antes do eixo traseiro. Com os
melhoramentos introduzidos na carroceria, a mesma foi colocada após o eixo traseiro.
As primeiras unidades possuíam também pára-choque duplo na dianteira, que foi substituído em 1952 por uma lâmina única mais larga.
Empresas
CMTC, CTP Cia. Transportadora Paulista, Cia. Auxiliar (Cometa urbana de São Paulo), Empresa
de Ônibus Alto da Mooca, E.A.O. Hamburgueza, CCTC Cia. Campineira de Transportes Coletivos
e outras fora de SP.
Linhas Operadas
Diversas.
Quantidade Produzida
Não conhecida
Anos de Fabricação
1950 a 1954
Final
O carro 1388 da CMTC recebeu motor Cummins no final dos anos 50 e posteriormente foi
desmontado. Os carros 1431 a 1445, 1461 e 1462 a carroceria e chassis receberam conjunto de
motor e câmbio Scania B-75 dianteiro. Alguns carros receberam o conjunto motor/câmbio Alfa
Romeo traseiro, com alongamento da carroceria. Mais de 100 tiveram o chassis aproveitado em
trolleybus.
Os primeiros da CTP Cia. Transportadora Paulista foram vendidos em 1963 à Viação Cometa. Os restantes, desmontados entre 1964 e 1966 na garagem que ficava na Rua Amparo (V.Prudente).
Os da Cia. Auxiliar tiveram algumas unidades reencarroçados pela Striuli (frente de vidro) e foram retirados de circulação em 1969, quando foram desmontados e sucateados.
Os da Alto da Mooca foram reencarroçados Caio Bossa Nova e receberam conjunto motriz
Leyland traseiro. Houve uma unidade reencarroçada Grassi Argonauta.
Não restou qualquer exemplar urbano.


GM ODC-210 – Chassis – Publicação da GMB nos anos 50


GM ODC-210 – 1ª unidade produzida – Acervo GMB

GM ODC-210 no pátio da GMB – CMTC # 1784 – Acervo GMB

GM ODC-210 – Cia. Auxiliar (Cometa urbana de S.Paulo) – Fonte site pontodeonibus

GM ODC-210 com motorização dianteira de Scania Vabis – CMTC # - Acervo de Francisco Capelo

GM ODC-210 com motorização Alfa Romeo e laterais modificadas – CMTC # 1348 – Acervo Museu Gaetano Ferola

GM ODC-210 reencarroçado Grassi - Cia. Auxiliar (Cometa urbana de S.Paulo) – Acervo Grassi

GM ODC-210 transformado em trolleybus pela CMTC – Acervo Museu Gaetano Ferola

GM ODC-210 reencarroçado Caio Bossa Nova motor Leyland – E.O.Alto da Mooca # 10967 – Fonte Revista 4 Rodas

GM ODC-210 reencarroçado Grassi Argonauta – E.O. Alto da Mooca # 10984 – Acervo Grassi

GM ODC-210 reencarroçado Striuli - Cia. Auxiliar (Cometa urbana de S.Paulo) – Fonte site pontodeonibus

GM ODC-210 reencarroçado Striuli - Cia. Auxiliar (Cometa urbana de S.Paulo) – Acervo Francisco Capelo
MODELOS RODOVIÁRIOS PRODUZIDOS
NO BRASIL
ODC-210

ODC-210 (versão rodoviária)
Overseas Diesel Chassis, 210 polegadas entreeixos
Motor
Diesel 2 Tempos, traseiro longitudinal, Detroit 4-71, 147 CV
Cambio
Mecânico, não sincronizado de 4 velocidades e mais longas que a versão urbana.
Histórico
Foi desenvolvido no Brasil em 1952, por engenheiros brasileiros e americanos, a partir da versão
urbana, diante da demanda pela versão rodoviária, até então encarroçada pela Caio e Grassi.
Características
O conjunto chassi-motor-câmbio era importado dos Estados Unidos.
Traseira e laterais com grades para refrigeração do motor.
A versão rodoviária tinha 2 portas sendo 1 dianteira para entrada e saída e 1 para emergência,
situada do lado esquerdo.
Tinha 2 janelas traseiras duplas, características da época. As janelas laterais não possuíam vigia
superior.
Empresas
Viação Cometa, Expresso Brasileiro, Viação Piracicabana, Monte Alegre Turismo, Caprioli, Viação Garcia, Pássaro Marron, Osasco Turismo, AVA, Princesa dos Campos, etc...
Linhas Operadas
Diversas.
Quantidade Produzida
Não conhecida.
Anos de Fabricação
1953 a 1954
Final
Cometa: rodaram nas linhas São Paulo x Jundiaí, São Paulo x Campinas e São Paulo x Sorocaba
até o início dos anos 70.
Alguns foram reencarroçados pela Ciferal mod. Líder e receberam a denominação de Jumbo G.
Foram vendidos à Líricos e Domínio, quando da constituição daquelas empresas. Foram
posteriormente desmontados em 1977.
Outros foram reencarroçados pela Striuli no final dos anos 60 com muita semelhança ao PD-4104 e receberam o nome de “Cururu”. A Striuli produziu também uma carroceria muito parecida com o PD-4106 que aproveitou o chassis do ODC-210 com motorização 6-71 recebendo o nome de Silver Jet. A Cometa possuiu também o carro 633 sobre Caio Fita Azul.
Expresso Brasileiro: algumas unidades receberam a carroceria Caio Papaléguas, muito pesada
para o conjunto propulsor do ODC-210, razão pela qual tiveram vida curta.
Piracicabana: foram vendidos à Monte Alegre Turismo, onde foram desmontados.
Reunidas: possuiu algumas unidades com carroceria Caio Bossa Nova.
Santa Rita (ex Anatur-RJ e ex Banco do Brasil): teve uma unidade reencarroçada Cirb.
São Manoel: possuiu algumas unidades com carroceria Caio Bossa Nova.
Não restou qualquer exemplar rodoviário.



GM ODC-210 – Expresso Brasileiro – Acervo GMB

GM ODC-210 – Acervo Princesa dos Campos


GM ODC-210 – Viação Cometa – Acervo GMB


GM ODC-210 com janelas laterais de MB O-321 – Viação Cometa # 645 – Acervo Francisco Capelo




GM ODC-210 Caio Fita Azul – Viação Cometa # 633 – Acervo Caio


GM ODC-210 reencarroçado Striuli – Viação Cometa # 681 “Cururu” – Acervo Striuli




GM ODC-210 reencarroçado Grassi Rodoviário – Cometa – Acervo Roberto Zulkiewicz




Propaganda do Grassi Rodoviário sobre GM ODC-210 – anos 50



GM ODC-210 reencarroçado Striuli com motor 6-71 – Cometa # 715 – Autoria desconhecida




GM ODC-210 reencarroçado Ciferal Líder – Cometa # 2214 Jumbo G – Acervo Cometa


GM ODC-210 reencarroçado Caio Papaléguas – Expresso Brasileiro – Acervo Caio




GM ODC-210 reencarroçado Caio Bossa Nova – Reunidas # 105 – Acervo Caio




GM ODC-210 reencarroçado Caio Bossa Nova – São Manoel # 61 – Acervo Caio


GM ODC-210 reencarroçado Cirb – Acervo Turismo Santa Rita







Roberto Zulkiewicz